Centro Cultural da EDP Avança Mesmo Violando o PDM de Lisboa

 

A Centro Cultural da Fundação EDP, à beira Tejo, que tanta polémica tem causado, devido à sua localização e especialmente às suas linhas arquitectónicas e volumetria, teve a sua construção aprovada pela Câmara Municipal de Lisboa, apesar de violar o Plano Director Municipal (PDM).

Segundo o Jornal Público, citando, o vereador António Carlos Monteiro, “Não se pode construir mais de dez metros de altura na frente ribeirinha, nem tapar a frente de rio com mais de 50 metros de frente. Ora o edifício tem 14 metros de altura e 150 de frente”.
Além disso, de acordo com a mesmo, existem problemas técnicos de execução, nomeadamente por “parte do edifício ser subterrâneo, apesar de a frente ribeirinha de Belém ser uma zona de aterro.”

Fonte: Público
Fotografias obtidas via Lx Projectos

 

 
 
 
 
 

Responder

obrigatório

obrigatório

opcional



  Sim, aceito a Política de Privacidade e dou consentimento para o armazenamento e tratamento, por este website, dos dados submetidos.