Grupo Português ISQ distinguido nos Prémios de Exportação & Internacionalização

 

O Grupo ISQ acaba de ver o sucesso da sua atividade reconhecido ao receber o prémio Revelação na categoria internacionalização dos Prémios de Exportação & Internacionalização, uma iniciativa promovida pelo Novo Banco e Jornal de Negócios (em parceria com a IGNIOS).

O Grupo vê assim reconhecido o seu esforço de internacionalização e de exportação de serviços e know-how nas áreas de engenharia e transferência de tecnologia nos países onde está presente, noutros mercados de exportação e em vários sectores de atividade como sejam: a energia, em áreas como a energia nuclear, o petróleo e gás e as energias renováveis, indústria aeroespacial, consultoria em infraestruturas laboratoriais, transportes e outros setores industriais de grande relevância económica.

Atualmente, a atividade do Grupo ISQ nos mercados internacionais corresponde a 57% do seu volume de negócios, com contractos e atividades permanentes em quatro continentes, através de empresas participadas do ISQ. Este processo de internacionalização da atividade começou há mais de 20 anos e é fundamental para o crescimento do ISQ, contribuindo também para a afirmação da engenharia portuguesa no mundo.

Em África, é de salientar a forte implantação no mercado angolano, onde o ISQ atua desde os anos 80, bem como no mercado moçambicano, onde tem vindo a implantar a sua atividade. Menção também para a Argélia, cujo mercado tem vindo a crescer com perspetiva de grande incremento para os próximos anos.

No mercado europeu desenvolveu, nos últimos oito anos um programa de investimento em Espanha, com resultados muito positivos. A constância do investimento no mercado espanhol perspetiva uma maior penetração futura, nas várias áreas de competência do ISQ, onde o grupo tem vindo a crescer nos últimos quatro anos de forma sustentada.

O ISQ também está presente no Brasil há duas décadas. Merecem ainda destaque a presença no competitivo mercado norueguês e no âmbito dos GCC nos Emiratos Árabes Unidos.
No futuro prevê-se o desenvolvimento do mercado asiático, em especial Timor, onde iniciou atividade em 2015, com abertura para outros países desta região em grande desenvolvimento.

Grandes Projetos Científicos Internacionais
De destacar o caso do CERN – European Organization for Nuclear Research (Organização Europeia para Investigação Nuclear), o Acelerador de Partículas onde o ISQ procedeu à inspeção da qualidade do fabrico das séries de cabos supercondutores, magnetos, componentes criogénicos e criostatos, bem como da montagem nas instalações do CERN. As atividades de inspeção e teste desenvolvidas no projeto ultrapassaram as 200 mil horas e envolveram 26 engenheiros e inspetores qualificados. As actividades do ISQ foram desenvolvidas nas instalações dos fabricantes distribuídos por 10 países europeus – Suíça, Inglaterra, França, Alemanha, Espanha, Portugal, Itália, Holanda, República Eslovaca, Rússia e nas instalações do CERN em Genebra (incluindo a montagem no túnel a uma profundidade média de 100 metros). O ISQ procedeu também à revisão do procedimento de segurança para a movimentação do “Detector de Partículas CMS” com 14 mil toneladas, durante a fase de montagem.

O ISQ foi escolhido como parceiro para a garantia da qualidade do projeto ITER, o maior investimento científico da actualidade, estimado em 34 milhões de euros. Neste projeto, o ISQ faz o controlo de qualidade da fabricação de componentes de equipamentos principais do reactor de fusão nuclear, o que envolverá dezenas de engenheiros e técnicos especializados. O projecto ITER conta com a participação da União Europeia, China, Coreia do Sul, EUA, Índia, Japão e Rússia. Com a intervenção no projecto ITER o ISQ assegura uma posição única a nível global com participação de âmbitos similares nos maiores projectos científicos internacionais das últimas décadas – ITER, E-ELT (European Extremely Large Telescope) e CERN.

Indústria aeroespacial
Outro projecto de referência foi o desenvolvimento de um sistema de protecção térmica para um veículo orbital reutilizável (IXV). O ISQ desenvolveu e executou ensaios relativos ao desenvolvimento de um sistema de protecção térmica não ablativo (que não arde), desde a caracterização de materiais e peças em laboratório até à qualificação do sistema inteiro. Os laboratórios do ISQ trabalharam para vários sectores industriais (e não exclusivamente dedicados à industria espacial) num processo muito mais rápido e barato do que aquilo que seria habitual na indústria espacial.

No Chile, o ISQ vai participar na garantia da qualidade e controlo da qualidade da construção do maior telescópio do mundo, “Extremely Large Telescope” (ELT) da ESO. Neste caso, irá desenvolver actividades de consultoria e de inspecção técnica especializada durante a construção do telescópio ELT da ESO. Este é o maior telescópio do mundo, estando a sua construção estimada em mil milhões de euros.
Na Guiana Francesa o Grupo ISQ tem uma presença muito forte. Está integrado no Agrupamento de Interesse Económico ESQS e presta serviços de engenharia da qualidade, segurança e ambiente às operações industriais de montagem e preparação dos lançadores e cargas úteis, nos 3 sistemas de lançamento Ariane 5, Soyuz e Vega. O CSG é o maior porto espacial do mundo para lançamentos comerciais, utilizando o veículo pesado mais fiável do mundo – o Ariane 5 – com mais de 50 lançamento sem acidentes.

Oil & Gas
No projeto Kaombo, o ISQ participou nas inspeções a soldaduras diversas. Em profundidades de 1.400 a 1.950 metros, este projeto inova ao primeiro em águas ultra-profundas do offshore angolano. Cerca de 300 quilómetros de dutos submarinos vão ligar os dois campos onde se encontram duas unidades flutuantes de produção e armazenamento. É o maior projeto a decorrer, atualmente, em Angola, e a primeira extração está prevista para início de 2018. De realçar ainda a presença em Angola, nomeadamente ao nível da refinaria de Luanda, da gestão da integridade dos equipamentos processuais e introdução de metodologias de otimização da inspeção baseadas no risco, seguindo a tendência da Indústria de refinação.

Na Arábia Saudita, o ISQ já participou nos estudos de inspeção baseados no risco em unidades da Saudi Aramco. Estes estudos, e as consequências operacionais para a gestão de ativos em unidades industriais críticas, como as associadas ao oil&gas durante a sua vida útil, são fundamentais no contexto atual, tanto no que respeita à gestão económica, como no que se refere à garantia de segurança de pessoas e comunidades, equipamentos e preservação de meio ambiente. O ISQ integra, desde 2010, uma short list de 6 empresas para o fornecimento destes serviços à Saudi Aramco (a maior petrolífera mundial, com 12,5 milhões de barris por dia, segundo a revista americana Forbes).
Na Argélia, o ISQ participou num projeto internacional de controlo e monitorização da corrosão das linhas de extração de gás, das linhas de transporte e da unidade de separação e tratamento de gás natural, condensado, GPL e petróleo.
A construção de tanques de etano na Escócia e na Suécia integram também os projetos internacionais de referência do Grupo ISQ. A tecnologia utilizada – de elevada velocidade e produtividade – foi totalmente desenvolvida no ISQ e representa o actual estado da arte neste tipo de inspeção, existindo apenas mais 2 empresas a nível mundial com sistemas semelhantes.

Energias renováveis
De salientar ainda a participação nos ensaios de controlo de execução de construção do aproveitamento hidráulico de La Muela II, em Espanha. Uma estrutura destinada a utilizar a energia produzida pela Central Nuclear de Vandellos durante a noite, bombando água para o cume da montanha (aproveitando energia que, de outra forma, seria perdida), onde é armazenada numa barragem artificial. Tratou-se da 1ª experiência de utilização de uma tecnologia inovadora.

Infra-estruturas laboratoriais
Em Angola, o ISQ participou na conceção da infraestrutura laboratorial, seleção e instalação de instrumentos de análise e capacitação técnica dos recursos humanos do Ministério do Comércio. O projeto por objetivo dotar a estrutura dos meios adequados para as análises de rotina. Todo o laboratório teve assim uma conceção de raiz, incluindo adaptação das infraestruturas, seleção dos instrumentos e documentação técnica.
Em Abu Dhabi, o Grupo ISQ participou na construção de laboratórios de investigação no Petroleum Institute Reseach Center. Desde a conceção à seleção de equipamento de ensaio e materiais foi assegurada, a nível de engenharia e construção, a integração dos laboratórios e do equipamento científico.

Transportes
Ao nível ferroviário, o ISQ já participou em Moçambique no projeto de Nacala. Foram reabilitadas infraestruturas num total de 730 km de caminho-de-ferro, ao nível de ensaios não destrutivos a 100%, nas das soldaduras do carril ferroviário, através de métodos de ultrassons e radiografia industrial. Este projeto teve a particularidade de atravessar uma zona significativa do território, capacitando o país com a renovação de uma linha férrea que possibilita o escoamento do carvão pela Mineradora Vale da província de Tete.

Telecomunicações
O acompanhamento e supervisão das condições de instalação da rede de fibra ótica no projeto da Unitel, em Angola, prevê a ligação de todas as províncias e integra o conjunto dos projetos de interesse nacional. Inclui a adoção e implementação de metodologias de trabalho inovadoras no mercado angolano (fiscalização, controlo de qualidade) e diferenciadoras nos resultados, comparativamente às demais operadoras nacionais.

Sobre o Grupo ISQ
O Grupo ISQ é a maior organização privada tecnológica de prestação de serviços com sede em Portugal. Fundado em 1965, hoje atua em mais de 20 países espalhados por 4 continentes. Dedica-se à prestação de serviços de inspeção, ensaio, formação e consultoria técnica. Nos últimos 50 anos, contribuiu para a construção da maioria das unidades industriais portuguesas, em áreas tão variadas como a construção de centrais de energia térmica ou eólica, refinarias, petroquímicas, papeleiras, o alargamento da Ponte 25 de Abril, etc.
Mais de metade da sua atividade, nacional e internacional, consiste em serviços especializados com forte incorporação tecnológica, como é o caso de ensaios complexos, engenharia no domínio da integridade estrutural, controlo de qualidade das mais diversas construções industriais, conceção e gestão de infraestruturas tecnológicas e laboratórios, formação e Investigação & Desenvolvimento.
Há mais de 25 anos que integra projetos de I&D nacionais e internacionais, tendo investido mais de 55 milhões de euros em projetos de I&D nos últimos dez anos e participado em mais de 400 projetos em colaboração com cerca de 1200 parceiros.
Em 2012, o Grupo faturou quase 100 milhões de euros. Cerca de 50% do total do volume de negócios provém de exportações. Composto por mais de 10 empresas, o Grupo tem presença em 15 países e emprega mais de 1.300 colaboradores em todo o mundo.

Fonte: ISQ via Sérgio Marçalo – Reputation

A não perder:

 

 
 
 
 
 

Responder

obrigatório

obrigatório

opcional