CBRE divulga hoje o resumo da atividade de 2016 com um crescimento de 25%

 

CBRE divulga hoje o resumo da atividade de 2016 com um crescimento de 25%

A CBRE divulga hoje o resumo da atividade de 2016, com um crescimento de 25% face a 2015, que já tinha sido o melhor ano de atividade da consultora. Para o Diretor Geral da CBRE em Portugal, Francisco Horta e Costa, “estes resultados são fruto do trabalho árduo de uma equipa altamente qualificada, que soube interpretar as necessidades dos nossos clientes, num momento de forte dinâmica do mercado.”

“Ficamos muito satisfeitos por termos um crescimento superior a 100% em áreas não transacionais como a Gestão de Ativos Imobiliários e Arquitetura e Gestão de Projeto, mantendo a liderança no mercado em avaliações e, ao mesmo tempo, com um forte crescimento em transações”.

Em 2016 os departamentos de Investimento e Promoção/Reabilitação assessoraram 34 transações num total de 260.000 m2 e com um valor superior a 550 milhões de euros, que envolveram 8 edifícios de escritórios, 3 hotéis, 5 ativos logísticos, 17 edifícios para reabilitar e 1 terreno.

Entre as transacções destacam-se a venda do Edifício Monumental no Saldanha à Merlin Properties, a colocação de 25% do Sierra Portugal Fund, em representação da Sonae Sierra, junto de um investidor americano e a venda de uma plataforma logística do maior retalhista de artigos desportivos em Portugal numa operação de Sale & Leaseback. Esta última foi a maior operação de investimento em logística em Portugal em 2016.

A CBRE foi responsável pela assessoria nas transações dos hotéis Viking e uma unidade hoteleira na Madeira a um investidor nacional, bem como a venda do hotel Lawrence, em Sintra, a um investidor privado estrangeiro.
Para reabilitação, realizou-se a venda de um fundo de investimento imobiliário, com dez imóveis, em Lisboa, a um fundo de pensões europeu, a venda, a um family office holandês, de um dos mais emblemáticos edifícios da Rua Garrett e a transação de cinco imóveis na zona da Baixa-Chiado, a vários investidores internacionais.

Entre estes negócios destaca-se no final de 2016 a venda do Edifício do Diário de Notícias, com cerca de 6500 m2, a um promotor imobiliário internacional.
A CBRE inicia 2017 com um conjunto de processos em fase avançada de negociação, que se deverão concluir nos próximos 3 meses, com um valor de mercado de quase 450 milhões de euros, bem como dará início a várias instruções de comercialização de imóveis com um valor potencial de cerca de 300 milhões de euros.

No que respeita à Comercialização de Espaços para Ocupantes, a CBRE registou um crescimento de 20% nesta linha de negócio, com mais de 135.000 m2 comercializados. O Departamento de Escritórios esteve envolvido na negociação de 20.000 m2, sendo os mais relevantes a colocação da Global Media num espaço de 5.200 m2 nas Torres de Lisboa e a Nowo, em 2.000 m2, no Edifício Lisboa, no Parque das Nações. A CBRE foi ainda responsável pela colocação da Sanofi num escritório de 2.000 m2 no Lagoas Park e a AXA Assistance em 1.500 m2 no Edifício Libersil, na Avenida da Liberdade.

Em 2016 os negócios realizados pelo Departamento de Comércio totalizaram cerca de 40.0000 m2 distribuídos por Retail Parks (17.500 m2), Comércio de Rua (16.000 m2) e Centros Comerciais (6.500 m2). Destaca-se a colocação da Flagship Store da New Balance e das Havaianas no Porto e A Vida Portuguesa e Anselmo 1910, no Chiado, em Lisboa.

Na área da restauração, a colocação do McDonald’s e da Pizzeria Zero Zero no Parque das Nações e da Delidelux junto à Av. Liberdade foram levadas a cabo pela CBRE.
O departamento de comércio garantiu ainda a ocupação a 100% do Parque Mondego, com a negociação e abertura de 4 novas lojas, e o início da comercialização da segunda fase do Matosinhos Retail Park, com a colocação da Media Markt e Deborla.
O Departamento de Armazéns e Logística registou um forte crescimento de atividade com a comercialização de 75.000 m2 de norte a sul do país, com destaque para o arrendamento de uma nave logística, no Parque Autoeuropa, com cerca de 11.500 m2, e o arrendamento de dois armazéns com um total de 12.000 m2, em Aveiro.

O Departamento de Residencial consolidou a equipa no ano de 2016, sendo responsável pela comercialização de vários empreendimentos em Lisboa, como o Boavista 62, Áurea 72, Edifício Leonel, Ouro Grand, Park Avenue e Terraços da Guia.
Em Avaliações a CBRE avaliou cerca de 200 milhões de m2, totalizando um valor superior a 10 mil milhões de euros e 30.000 propriedades. Entre os vários imóveis sobressai a avaliação do património do Novo Banco para efeitos de aquisição de uma entidade internacional.

O Departamento de Consultoria realizou mais de 20 estudos de análise estratégica e reposicionamento, quer de centros comerciais como de escritórios, assim como análises de best-use para o desenvolvimento de terrenos e estudos de apoio à transação de imóveis com a realização de relatórios de Due Diligence Comercial. Entre os seus clientes incluem-se entidades como o Millennium BCP, a Rockspring e a Finsolutia.

Em 2016, Gestão de Ativos Imobiliários registou um crescimento de 100%, sendo agora responsável pela gestão de cerca de 1 milhão de m2, com um valor superior a 800 milhões de euros. O grande crescimento deveu-se a vários novos mandatos no sector logístico, para clientes como a Logicor, Aberdeen e CBRE Global Investors, e no sector do comércio, com o mandato de gestão de 3 centros comerciais: Alameda Shop & Spot, Nosso Shopping e Alma Shopping.
O último ano foi de forte crescimento e consolidação na área de Arquitetura e Gestão de Projetos (Building Consultancy) com um incremento da faturação superior a 100%.

No sector de escritórios o destaque vai para os projetos de fit out em que a CBRE realizou o design e a gestão de projeto da Merck, com 1.300 m2, SAS, com 800 m2, Sealed Air, com 800 m2, a gestão de projeto da renovação do lobby da Torre Oriente do Colombo e está ainda em curso a obra do novo escritório da Axa Assistance com 1.500 m2, na Avenida da Liberdade.
A CBRE, no segmento de comércio, foi responsável pelo project management de renovação do foodcourt do Forum Aveiro. Encontra-se em curso o projeto de reformulação integral do Nosso Shopping em Vila Real, cujo conceito e a gestão de projeto estão a cargo da CBRE.

Em Entreprise Facility Management a CBRE geriu em 2016 instalações de empresas como a IBM, BP, Cisco, BBVA, Microsoft ou Motorola, com uma equipa especializada de 46 colaboradores em 13 Edifícios, 3 Centros Informáticos e 15 Agências, a prestar serviços a um total de cerca de 4.000 ocupantes.

A neoturis, empresa do grupo CBRE, apresentou um crescimento de 15% na sua atividade, com diversos projetos para clientes e investidores  nacionais, belgas, brasileiros, norte-americanos, do Kuwait ou Qatar.
Destacam-se processos de seleção de cadeias hoteleiras para arrendamento, gestão ou franchise de unidades em Portugal, estudos de mercado, definição de best-use e viabilidade económica para hotéis e empreendimentos turístico-imobiliários integrados ou estratégias de desenvolvimento e marketing para visitor attractions ou regiões turísticas nacionais.
Para Francisco Horta e Costa, Diretor Geral da CBRE Portugal, “2017 irá ser o ano em que os bancos, agora recapitalizados, com novos acionistas e com um nível significativo de imparidades registadas, vão acelerar a venda de activos, o que terá impacto positivo na dinâmica de mercado”.

Francisco Horta e Costa prevê ainda que “este ano, em resultado da manutenção das taxas de juro a níveis historicamente baixos, vai continuar a existir uma forte procura de imóveis de rendimento e imóveis para reabilitação”.
“Os investidores estão conscientes que têm que assumir mais risco para obter rentabilidades mais elevadas. Este factor, conjugado com a escassez de oferta de escritórios de qualidade, irá ter como consequência a retoma da promoção imobiliária e a consequente venda de terrenos para construção de escritórios, mas também para habitação e logística”.

Este ano a procura de escritórios por parte de empresas de nearshore vai implicar a expansão do mercado de escritórios para outras cidades como Porto e Braga. Ao nível de centos comerciais, prevê-se a abertura de dois novos espaços a sul do país: o Mar Shopping Algarve e o Évora Shopping.

Francisco Horta e Costa antecipa ainda que “é expetável a manutenção da atividade de procura de cadeias hoteleiras no turismo e a retoma dos processos de comercialização de empreendimentos turístico-imobiliários de média-grande dimensão, essencialmente em Lisboa, Porto e Algarve. O Douro e Alentejo são já regiões em análise por parte de investidores internacionais.”
Em 2016, e em resposta ao aumento de atividade, a CBRE integrou mais 26 colaboradores na sua equipa, tendo agora 130 colaboradores.

Fontes: CBRE via Sónia Correia dos Santos – JD Young & Associates

A não perder:

 

 
 
 
 
 

Responder

obrigatório

obrigatório

opcional